FESTA DE ENCERRAMENTO DAS
COMEMORAÇÕES DO 82º ANIVERSÁRIO


Assinalar condignamente o Aniversário desta velhinha e simpática Associação, tão carismática e querida e com tantas raízes no seio da comunidade vilacondense, é importantíssimo por várias razões:

1. Pela própria razão em si, ou seja, atingir esta bonita idade é motivo de júbilo e de alegria para quantos comungam dos mesmos ideais, e são muitos milhares os que de geração em geração corporizaram durante décadas o ideal de ser Pracista;
2. Pela oportunidade de podermos reconhecer ou ver reconhecidos, senão todos, pelo menos os que mais se destacaram em várias vertentes no engrandecimento da Colectividade;
3. Porque esta é uma festa particularmente da Família Pracista, servindo para aproveitar o ensejo para afinar o diapasão no que respeita aos êxitos ou inexitos vividos no Rancho da Praça, e se necessário, enviar mesmo alguns recados para dentro da Associação.

Assim, passado mais um ano de grande trabalho com momentos bons e menos bons, como é normal quando se trata de um trabalho colectivo onde há sempre alguém que não consegue corresponder ao que se lhe é pedido e exigido quando assume determinado compromisso, foi escolhida a data de 9 e 10 de Novembro 2002 para o efeito.

Foi um programa recheado de grande sentimento, todo ele com altíssimos momentos de qualidade como se pode constatar pelo relato mais ou menos sucinto dos vários actos e acontecimentos.

Queremos destacar e sublinhar aqui e agora a presença amiga do Senhor Presidente da Câmara - Eng. Mário Almeida em todos os actos destas Comemorações, deixando de estar presente noutros eventos que se realizavam nos mesmos dias, inclusive "uma reunião partidária de alta responsabilidade a nível nacional, porque a Praça merece e se sentia bem no meio dos Pracistas".

Destaque ainda para a presença amiga e sempre apreciada de "nuestros hermanos" com uma delegação de grande nível vinda da cidade de Ferrol, cidade geminada com Vila do Conde.

NO AUDITÓRIO MUNICIPAL:

A festa começou com fogo de artificio na Praça da República, precisamente frente ao Auditório Municipal, lugar onde decorreu o 1º acto desta efeméride.

Na abertura, coube ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Rancho da Praça - Eng. António Santos Ferreira, constituir a mesa, chamando para o efeito os Srs. Presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde para presidir ao acto, Presidente da Junta de Freguesia de Vila do Conde - José Maria Postiga, Presidente do Conselho Fiscal do Rancho da Praça - Júlio Félix e Presidente da Direcção - Carlos Marcelino, além dele próprio.


Na primeira intervenção da noite, o Sr. Presidente da Assembleia Geral realçou a importância do acto e da iniciativa, dizendo que "pela primeira vez são reconhecidos os sócios com vinte e cinco anos ou mais de fidelidade ininterrupta de associado à Colectividade".

Antes da ordem de trabalhos conforme o programa das Comemorações, o Presidente da Direcção leu algumas mensagens de apoio e de congratulações recebidas por carta, e.mail ou telefone, todas elas sublinhadas com grande aplauso: do Sr. Alcalde da Cidade de Ferrol - D. Xaime Bello Costa, Fernando Maia de Toronto - Canadá, Agostinho Campos e Artur Mesquita de Hamilton - Canadá, António Silva - Presidente do Comité de Jumelage Le Cannet - Vila do Conde - França, Vanessa Silva Presidente da Associação Culturelle Portugaise des Alpes Maritimes - Cannes - França e, do sócio N.º 3 António Páscoa, o mais antigo na actualidade, com 36 anos de associado.

Foi entregue o diploma de "Sócio Honorário" a Pedro E. Sanz Sanchez (Presidente do Real Coro Toxos e Froles), atribuído na Assembleia Geral Extraordinária de 2 de Agosto 2002 por aclamação. O Sr. Presidente do Toxos fez uma pequena intervenção e entregou ao Presidente da Direcção do Rancho da Praça um valioso trofeu em prata com as armas da cidade de Ferrol.


Na sequência do programa, "Breves palavras sobre a efeméride por J. Carvalho Branco", impossibilitado por doença grave de estar presente, teve Carlos Marcelino a responsabilidade de ler e tentar interpretar o sentimento do autor quando escreveu aquele artigo. Justificando aquela ausência forçada, o Presidente da Direcção apresentou J. Carvalho Branco como "um grande vilacondense por adopção, um Homem de extraordinária sensibilidade própria de quem está habituado a lidar com livros durante muitos anos e o editor das obras de José Régio. Como industrial livreiro, J. Carvalho Branco é o proprietário da Editora Brasília no Porto e chegou a ser o Presidente dos Editores Livreiros Portugueses. Por isto, Carvalho Branco é uma autoridade respeitabilíssima no que diz e no que escreve, para além de ser um Grande Pracista". Após a leitura, o público que encheu literalmente o Auditório Municipal, aplaudiu de pé o magnifico escrito de J. Carvalho Branco.

Impunha-se ouvir o Eng. Mário Almeida. Começou por afirmar a sua satisfação por estar presente na "festa dos 82 anos do Rancho da Praça", sublinhou o trabalho da Direcção à frente do Rancho da Praça, aplaudiu a iniciativa do reconhecimento de quase duas centenas de associados, mostrou-se também ele preocupado quanto à questão do armazém para que a Praça possa guardar e fazer todos os preparativos e adereços à participação na Marcha Luminosa da Noite de São João, e afirmou que com muito prazer estaria presente em todos os actos que constam do programa destas Comemorações.

Segui-se um fantástico momento de fado por Eliana Castro, uma fadista vilacondense que canta cada vez melhor e encanta multidões por onde passa, inclusive por França onde já actuou por duas vezes, acompanhada nesta noite pelos músicos do Rancho da Praça, Márcio Silva à guitarra, José Saraiva e Vítor Viana à viola.


Findo este momento, os elementos da mesa retomaram o seu lugar e então foi possível entregar a 197 associados com 25 anos ou mais o seu emblema de prata acompanhado de um diploma personalizado. Em todos os associados a quem foi prestado este reconhecimento se via estampada no rosto uma enorme satisfação e orgulho.

ROMAGEM AO CEMITÉRIO:

Com concentração marcada para o Largo dos Artistas, foram centenas as pessoas que às 11 horas da manhã se incorporaram nesta romagem carregada de simbolismo.


Chegados ao cemitério, depois de subidas as Ruas de Santo Amaro e das Donas, junto ao cruzeiro erguido no centro daquele campo santo, o Eng. António Santos Ferreira proferiu palavras de reconhecimento a todos os Pracistas ali depositados, depondo uma coroa de flores junto às duas lápides de homenagem do Rancho da Praça ali colocadas, seguindo-se um minuto de silencio.


Junto ao jazigo de Adroaldo Gonçalves de Azevedo foi também colocado um ramo de flores e proferidas sentidas palavras por Júlio Félix em relação a este que foi "um Grande Pracista cuja dedicação merece ser reconhecida e sempre lembrada".


Na capela onde está depositado António Lopes Ferreira - "Ventura do Paço" - pseudónimo que escolheu em vida, foram proferidas também algumas palavras pelo Presidente da Assembleia Geral em relação a esta figura marcante, "um dos grandes poetas de sempre do Rancho da Praça". Lembrou "alguns dos seus poemas que o Rancho imortalizou como por exemplo "O Moínho da Levada" ou "É Isto Vila do Conde"" entre muitos outros. Foi depois descerrada uma lápida por um dos filhos ali presentes que nos disse ser esta homenagem simples tal como ele gostaria.

 

A terminar este acto simbólico carregado de emoção, foi depositado um ramo de flores no jazigo de Albino dos Santos Ferreira e proferidas algumas palavras por Carlos Marcelino que emocionado disse: "quando há 33 anos entrei para o Rancho da Praça conheci o Sr. Albino, então Presidente da Direcção e um faz de tudo. Eram tempos difíceis. Para pagar o aluguer, a luz e a água da sede, tinha que "cotizar" mensalmente os seus amigos com 1$00, 2$50, 5$00 ou o que podessem dar. Aquando do acto da Geminação em 1973 entre Vila do Conde e Ferrol, foi necessário ultrapassar muitos obstáculos e burocracias. O Sr. Albino era um grande amigo e foi para mim um mestre. Com ele aprendi tudo o que sei".

Ainda junto ao jazigo de Albino dos Santos Ferreira, D. Pedro Sanz - Presidente do Real Coro Toxos e Froles de Ferrol, proferiu algumas palavras em "memória do nosso Albino" salientando a amizade, o carinho e o amor que ele teve sempre por Ferrol, fazendo lá muitas amizades. Descerraram D. Pedro Sanz e Carlos Marcelino uma lápide de recordação do Real Coro Toxos e Froles. Segui-se um minuto de silencio ao som de uma marcha fúnebre interpretada por um "gaiteiro" ferrolano que se deslocou nessa manhã propositadamente de Ferrol a Vila do Conde para o efeito.

 

No final desta romagem e ainda dentro do cemitério, perfeitamente emocionado, Carlos Marcelino disse que "uma Associação que não reconhece todos os que para ela trabalharam e engrandeceram, independentemente de estarem vivos ou mortos, não é uma Associação. O Rancho da Praça é, e por isso estamos aqui". Pela maneira ordeira, pelo sentimento geral e pela adesão enorme dos Pracistas nesta Romagem, julgamos que este terá sido talvez o momento alto destas Comemorações.

NA IGREJA MATRIZ:

Do programa constava a "missa de sufrágio" por intenção dos Pracistas falecidos. O Rev.mo. Prior de Vila do Conde - Padre Arlindo Torres sublinhou por várias vezes durante a homilia a importância das Associações na comunidade, e, o gesto de reconhecimento de todos os que de alguma forma contribuíram para o engrandecimento da Colectividade, particularmente dos que já partiram, enaltecendo também a presença dos amigos ferrolanos e do Coro Cantores de Ferrol que "abrilhantou" a missa.


ALMOÇO CONVÍVIO NA SEDE SOCIAL:

Com uma óptima ementa e no meio de um magnifico ambiente de festa e de convívio, "nesta reunião de família" como lhe chamou Carlos Marcelino, foram distinguidos:
" Isabel Vasques Roque, "uma senhora de enorme dedicação e amor à Colectividade responsável pela manutenção dos trajos", com uma fotografia emoldurada em quadro, tirada em Caranza - Ferrol em Agosto do corrente ano, aquando da sua presença na Feira Internacional de Artesanato daquela cidade.
" Ana Maria Vasques, pela extraordinária dedicação ao enfeitar semanalmente a expensas próprias com flores naturais o São João na sede social já lá vão muitos anos, igualmente com uma fotografia emoldurada da imagem do São Joºao que ela com tanta devoção enfeita semanalmente.
" Zacarias Barbosa Alvão, "um homem que se não fosse atraiçoado por enfermidade grave, ainda hoje estaria a tocar bombo no Rancho da Praça a exemplo do que já vinha fazendo há muitos anos graciosamente". Foi-lhe oferecida uma placa de reconhecimento em estojo.

 

Seguiu-se a entrega de várias lembranças, pelo nosso embaixador D. Ricardo Nores Castro um quadro de prata com a réplica da "medalha de mérito" de Cidadão de Honra de Vila do Conde atribuído a seu pai pela Câmara Municipal, e uma lembrança do Coro Cantores de Ferrol personalizada por todos eles.

 

Como já vem sendo habitual, estas festas encerram com os discursos dos Presidentes da Direcção do Rancho e da Câmara Municipal. Era sabido que Carlos Marcelino apresentou há meses a sua intenção de abandonar a presidência e por isso, quando está a terminar a sua actividade de dirigente da Associação, redigiu o seu discurso sublinhando em linhas gerais tudo ou quase tudo o que foi feito nos últimos vinte anos.


A leitura decorria com normalidade até à altura em que teve que falar do seu abandono e dos problemas concretos da Associação, vendo-se forçado a interromper por várias vezes o seu discurso pela emoção que o acometeu. Nós que conhecemos profundamente o Carlos Marcelino como ninguém, imaginamos o quanto terá sido difícil aquele momento em que exteriorizou sentimentos que ninguém conhecia, dado que sempre estivemos habituados a vê-lo como uma pessoa fria e prática a resolver situações. As duzentas e muitas pessoas presentes na sala aplaudiram de pé várias vezes a sua intervenção.


A finalizar, o Eng. Mário Almeida teceu elogios ao trabalho desenvolvido pela Direcção e em particular pelo Carlos Marcelino com quem se habituou "a trabalhar durante muitos anos, havendo um respeito mútuo e institucional". Respondendo directamente a uma questão directa colocada por Carlos Marcelino relativamente ao armazém de propriedade do Rancho da Praça, disse estar de imediato aberto a estudar soluções para que seja possível ir de encontro aos anseios e preocupações da Praça. Aproveitou ainda para tentar demover as intenções do Presidente da Direcção.

Antes de abandonar o salão de festas do Rancho da Praça, a pedido da Direcção o Sr. Presidente da Câmara inaugurou a remodelada, moderna e funcional sala de trofeus da Colectividade, seguindo-se a visita de todos os presentes, os quais manifestaram a sua admiração dada a qualidade daquele local que é o espelho de uma vida de 82 anos de actividade.